Pubicado em: qui, out 12th, 2017

Deus é bom,…

 

Deus é bom, porém, o Diabo não é ruim.

Assim decidiu o STF ontem ao proferir sentença sobre o caso AECIO NEVES bem como para os demais correlatos privilegiados nesta Pais de desiguais, perante a já contestável lei expressa em letras minúsculas, e, não a LEI verdadeira no sentido SUPREMO da palavra.

Diante o ocorrido, o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL em suas decisões desprovidas de consenso  de unanimidade o que deveria  ser natural naquela SUPREMA CORTE,vem perdendo se já não perdeu, o significado intrínseco da letra S em sua sigla (S.T.F) a qual, doravante deve ser considerada e transcrita com ressalva: por exemplo “STF”, pois perdeu a supremacia pela qual penso ter sido a razão de sua existência, pois, para julgar o cidadão comum, ou seja, aquele a quem não lhe fora concedido o benefício do foro privilegiado, creio que quaisquer dos tribunais inferiores tem nas suas devidas instâncias, formação acadêmica suficiente para julgar com imparcialidade os casos insurgentes.

Quero com isso sugerir a desnecessária existência dessa instituição superior por se tornar inócua para os casos onde os crimes praticados poderão ser acobertados por interesses pessoais, fisiológicos, corporativistas e institucionais.

Veja matéria sugestiva publicada já há algum tempo sobre a citada instituição:  (Proposta para o sistema judiciário) LINK: http://www.redemidial.com.br/propostas-ao-sistema-judiciario/

Segue o link da matéria do Café com Jornal: http://noticias.band.uol.com.br/cafecomjornal/videos/ultimos-videos/16330770/stf-admite-aval-do-congresso-para-afastar-parlamentar.html

Tanabi 12 de outubro de 17

De: Antônio Evangelista Neves.

Sobre o Autor

Antônio Evangelista Neves